Ban pede 1,5 mil milhão para apoiar situação “catastrófica” na Síria

30 janeiro 2013

Montante visa conceder ajuda humanitária aos sírios no próximo semestre; Secretário-Geral alerta que apoios não conseguirão solucionar a tragédia.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*    

O Secretário-Geral da ONU disse que a ajuda humanitária, só por sí, não conseguirá solucionar a crise na síria. Para Ban Ki-moon, o massacre e a miséria só vão terminar quando houver uma solução política.

As declarações foram feitas, esta quarta-feira, na abertura da Conferência de Doadores para a Síria, realizada no Kuwait. O chefe da ONU destacou as necessecidades para levar a cabo as operações humanitárias no país.

Seis Meses

Ban Ki-moon referiu que a organização precisa de US$ 1,5 mil milhão a serem usados nos próximos seis meses.

O responsável disse, ainda, que pedia “em nome da humanidade”, para que o governo e a oposição ponham fim com à violência e aos assassinatos.

Promessas

Agências noticiosas referem que  o Kuwait, os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita prometeram doar US$ 300 milhões. O Bahrein, a Grã-Bretanha e a Alemanha também lançaram promessas como parte das doações.

Ban afirmou que a situação na Síria é catastrófica e piora a cada dia. Segundo lembrou, pelo menos 60 mil pessoas foram mortas nos 22 meses de conflito.

O Secretário-Geral declarou que 4 milhões de pessoas necessitam de ajuda imediata, sendo 2 milhões crianças. Além disso, 1 em cada 10 sírios abandonou a sua casa e mais de 700 mil procuraram abrigo fora do país.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud