Atividades de rendimento para apoiar deslocados no Mali

23 janeiro 2013

Acnur destaca necessidade urgente de alimentos; bombardeamentos aéreos e de combates aumentam fluxo de refugiados para os vizinhos Burkina Faso, Mauritânia e Níger.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, revelou a aposta em implementar atividades de geração de rendimentos para apoiar deslocados provocados pelo conflito no Mali.

A agência refere que a operação, que envolve parceiros, visa melhorar as condições precárias de vida de pessoas com necessidade urgente de alimentos, saúde, alojamento e educação para menores.

Acesso

O foco do programa será a capital maliana, Bamako, onde está albergada grande parte dos 229 mil deslocados internos provenientes dos distritos de Kidal, Timbuktu e Gao, no norte.

O Acnur indica que o acesso humanitário para várias áreas do Mali está severamente limitado devido à situação de segurança. A agência indica a continuação de bombardeamentos aéreos e de combates que levaram mais refugiados a atravessar para os vizinhos Burkina Faso, Mauritânia e Níger.

Milícias

Entretanto, agências noticiosas indicam que militares norte-americanos começaram a fazer o transporte aéreo de soldados franceses e de equipamento ao Mali. A medida visa apoiar a operação contra milícias islamitas.

A informação das agências noticiosas indica que pelo menos cinco aeronaves norte-americanas já teriam pousado em Bamako, e vários outros estariam previstos para os próximos dias.

Intervenção

Há duas semanas, tropas francesas iniciaram a intervenção com o objetivo de conter o avanço das milícias para o sul.

Com os deslocados provocados pelos recentes ataques, o Acnur defende que o número de malianos que pediu refúgio nos países vizinhos desde o início da crise, há um ano, subiu para 147 mil.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud