ONU quer que Israel suspenda novos assentamentos em áreas palestinas
BR

14 janeiro 2013

Secretário-Geral pediu novamente ao governo israelense que abandone a idéia para a construção de 3 mil novas casas no leste de Jerusalém, em uma área conhecida como E-1.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas querem que Israel suspenda os planos para o assentamento de colonos judeus no leste de Jerusalém.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu novamente ao governo israelense que desista da construção de 3 mil novas residências na região chamada E-1.

Separação

Ban alertou que os protestos contra os assentamentos, assim como a resposta de Israel a eles, devem ser feitos de forma pacífica.

O Secretário-Geral disse, em comunicado, que a construção pode separar completamente o leste de Jerusalém da Cisjordânia.

Segundo ele, o plano de assentamento vai representar um “golpe quase fatal” às chances de criação de dois Estados independentes, como solução para o conflito israelense-palestino.

Ilegal

Ban afirmou que,  pela lei internacional, “os assentamentos israelenses na Cisjordânia são ilegais.”

O Secretário-Geral fez ainda um apelo para que todos os envolvidos no conflito façam um esforço maior para criar as condições que levem à retomada das negociações de paz. Assim como, para proteger o futuro do processo de paz, que, segundo ele, está em perigo.

Protestos

Ban ressaltou, no entanto, que as últimas manifestações dos palestinos contra os assentamentos na área E-1, como, também, a retirada dos manifestantes pelos soldados israelenses foram, em sua maioria, sem violência.

O porta voz do Secretário-Geral afirmou que Ban salientou a importância dos protestos continuarem pacíficos e pelo direito das manifestações serem totalmente respeitadas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud