Acnur tenta contactar refugiados na República Centro-Africana

11 janeiro 2013

Em nota, agência revela que 2 mil refugiados sudaneses  estão incomunicáveis no acampamento Bambari, numa área controlada por rebeldes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou tentativas para ter “acesso imediato e incondicional” a dezenas de milhares de refugiados e civis obigados a fugir dos confrontos na República Centro-Africana.

No leste e no norte as condições de vida das vítimas deterioram quando milhares carecem de ajuda urgente, defende a agência. Cerca de 17 mil refugiados e 2,5 mil candidatos a asilo vivem no país.

Instabilidade

Recentemente, o avanço da aliança rebelde Seleka em direção à capital, Bangui, teria agravado a instabilidade que se seguiu a ataques perpetrados em várias cidades.

O Acnur pediu a todas as partes envolvidas nos confrontos que respeitem os direitos humanos dos civis e permitam o acesso de ajuda humanitária.

Sudaneses

A preocupação da agência, prende-se com 2 mil refugiados sudaneses no acampamento de Bambari, no centro do país, que é controlado pelos rebeldes. O Acnur diz estar a tentar contactar os refugiados.

Para a agência, o saque de vários armazéns do Programa Alimentar Mundial, esta semana,  poderá causar graves atrasos na distribuição de alimentos aos refugiados. Os esforços decorrem num momento em que várias agências  procuram uma solução rápida para a retomar a ajuda alimentar.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud