FMI considera desempenho económico de Moçambique "bastante positivo"

28 dezembro 2012

Órgão financeiro elogia o enfoque do governo sobre a diminuição da pobreza e desigualdade; país continua a resistir à crise, segundo economistas.

Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo.

O Fundo Monetário Internacional, FMI, disse que o desempenho da economia de Moçambique de 2012 é “bastante positivo” e prevê um crescimento económico superior no próximo ano, apesar da crise financeira mundial.

Falando à Rádio ONU, de Maputo, o representante do FMI em Moçambique, Victor Lledó, disse que a economia do país está a “crescer a passos bastante sólidos”, embora os parceiros comerciais importantes estejam a ser afetados pela crise da zona Euro.

Carvão

“As nossas projeções indicam que o crescimento do PIB deve atingir cerca de 7,5% em 2012, beneficiado principalmente pelo desempenho robusto do setor de serviços e também de um contributo bastante significativo na área da indústria extrativa particularmente relacionadas com o carvão”.

O responsável pela agência mostrou-se otimista com o desempenho da economia do país para o próximo ano.

“Continuamos a ter projeções bastante positivas. Esperamos que o crescimento económico para 2013 chegue até a superar o de 2012, sendo algo na casa de 8,4 ou 8,5%, e a inflação se manterá reduzida em um dígito, em torno de 6,5%”.

Redução de Pobreza

Victor Lledó apelou às autoridades moçambicanas para prosseguirem com os esforços de redução da pobreza, visando obter um crescimento mais inclusivo. Mas elogiou as recentes decisões governamentais.

“Há progressos importantes e concretos em termos de medidas que foram tomadas pelo governo com objetivo de tornar o crescimento mais inclusivo. Na área da agricultura, tem havido avanços estratégicos na definição de um plano de investimento que vai consolidar a atração de atores privados da agricultura no país, que vai ser fundamental para a geração de empregos e para aumento da produtividade agrícola”.

A outra área que tem merecido atenção do governo moçambicano é o da proteção social. Segundo o FMI, no Orçamento Geral de Estado para o próximo ano, o executivo de Maputo inscreveu verbas correspondentes a 2% do Produto Interno Bruto.

“Ainda que pareçam ser reduzidos, são valores extremamente importantes e significativos para criar esta base de sustentação que as camadas mais vulneráveis tanto precisam para fugir da pobreza”.

Embora a economia dependa em cerca de metade da ajuda externa, Moçambique continua a ser um dos países com progressos económicos positivos, resistindo a crise mundial.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud