ONU retira temporariamente funcionários da República Centro-Africana

27 dezembro 2012

Comunicado salienta receios de que não seja respeitado o cessar-fogo e que continue o avanço dos rebeldes para a capital, Bangui; ataques armados são perpertrados por uma coligação de grupos rebeldes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas retiraram temporariamente funcionários não-essenciais da República Centro-Africana devido à insegurança. Em nota, emitida esta quinta-feira,  a organização aponta que o receio é que não seja respeitado o cessar-fogo e que continue o avanço dos rebeldes para a capital, Bangui.

A medida segue-se à condenação “vigorosa” do Secretário-Geral aos ataques armados levados a cabo pela coligação de grupos rebeldes Seleka.

Seleka

Agências noticiosas indicam, entretanto, que a luta dos rebeldes prossegue. As informações das agências referem que o Seleka, formado por fações separatistas de três antigos grupos armados, promete depor o presidente Francois Bozizé caso não negoceie com eles.

Para Ban Ki-moon os últimos desenvolvimentos minam gravemente os acordos de paz, bem como os esforços de consolidação levados a cabo pela comunidade internacional.

Campanha

De acordo com agências noticiosas, desde o início da campanha, há um mês, várias cidades foram tomadas pelo grupo como parte da ofensiva em direção à capital.

No seu comunicado, o Secretário-Geral lamenta profundamente a perda de vidas e o deslocamento da população devido aos combates. Um apelo foi lançado às partes para que se abstenham de quaisquer atos de violência contra civis, incluindo a violência sexual e baseada no género.

Pessoal da ONU

O secretário-geral lembra o governo da República Centro-Africana da sua responsabilidade de garantir a segurança do pessoal da ONU e de suas instalações.

O apelo estende-se à garantia de proteção de civis e de respeitar os direitos humanos, conforme os instrumentos internacionais de que o país africano é parte.

Desafios

O Secretário-Geral reafirmou a  disponibilidade da ONU em continuar a apoiar a República Centro-Africana na superação dos desafios consolidar a paz, em colaboração com os parceiros regionais e internacionais.

A ONU insta todas as partes a respeitar as decisões  da reunião de chefes de Estado da Comunidade Económica do Estados da África Central, realizada na capital chadiana, Djamena a 21 de Dezembro.  A organização refere que o encontro “fornece uma base para uma resolução pacífica do conflito.”

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud