Unicef reage à proposta de proibição de adoções da Rússia
BR

26 dezembro 2012

Agência da ONU pediu ao governo russo que se guie somente pelo melhor interesse das crianças ao determinar suas políticas e ações.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, reagiu, esta quarta-feira, à proposta de proibição de adoções da Rússia, pedindo ao governo de Moscou que tenha em mente apenas o melhor interesse das crianças ao determinar suas políticas e ações.

O diretor-executivo do Unicef, Anthony Lake,  encorajou o governo do presidente Vladimir Putin a implementar um plano nacional de proteção social que ajude a fortalecer as famílias russas.

Projeto

A reação da agência da ONU aconteceu depois de informes da mídia mostrarem que o parlamento da Rússia aprovou projeto de lei que proíbe que crianças russas sejam adotadas por cidadãos americanos.

O projeto, que ainda depende da assinatura de Putin para ser sancionado, é segundo a imprensa, uma retaliação aos Estados Unidos por terem acusado a Rússia de violar os direitos humanos.

Alternativa

Ao mesmo tempo em que elogiou os avanços do governo russo no setor de bem estar da criança, Anthony Lake afirmou que é fundamental encontrar alternativas à institucionalização dos menores de idade.

Para Lake, entre as opções estão, encontrar residências permantentes para as crianças e a adoção tanto nacional como internacional.

Proteção

O diretor do Unicef disse que “todas as crianças merecem viver num ambiente que promova proteção e bem estar.”

Lake declarou que todas as crianças precisam estar em ambientes familiares em que se sintam protegidas e amadas.