Ban condena assassinato de trabalhadores da saúde no Paquistão
BR

18 dezembro 2012

Seis pessoas foram mortas em menos de 24 horas no país; agências de notícias dizem que cinco eram mulheres que participavam de um programa de vacinação contra a poliomielite foram alvejadas a tiro.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O Secretário-Geral da ONU emitiu uma nota condenando o asssassinato de seis assistentes de saúde no Paquistão. Em Nova York, o porta-voz de Ban, Martin Nesirky, leu o comunicado.

Nesirky destacou que Ban se une à Organização Mundial da Saúde e ao Unicef ao condenar os ataques “sem sentido e imperdoáveis”.

Suspensão

Segundo agências de notícias, entre os mortos estavam cinco mulheres que trabalhavam em campanhas de vacinação.  Quatro dos crimes foram cometidos perto de Karachi, a maior cidade do país. A campanha, em Karachi, foi suspensa temporariamente por causa dos assassinatos.

A pólio é uma doença altamente infecciosa e pode causar paralisia irreversível. Segundo a OMS, somente no ano passado, 200 crianças tiveram paralisia infantil no Paquistão.

A decisão de vacinar as crianças paquistanesas foi tomada pelo governo com a ajuda de dezenas de milhares de agentes da saúde. O Objetivo é vacinar mais de 30 milhões de menores.

Ainda segundo a OMS, a pólio continua endêmica em três países: Afeganistão, Nigéria e Paquistão.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud