Práticas do Botswana e Uganda listadas como Património Cultural Imaterial

Práticas do Botswana e Uganda listadas como Património Cultural Imaterial

Unesco aprovou a técnica cerâmica das bilhas de barro do distrito de Kgatleng no Botswana e a Bingwala, que agrega o canto e a dança tradicionais do reino Busoga.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco incluiu manifestações das culturas tsuana e ugandesa no Património Cultural Imaterial Mundial. A medida faz parte dos esforços de preservação de práticas ameaçadas de extinção.

Num encontro que decorre até esta sexta-feira, na sede da organização em Paris, foram escolhidas a técnica cerâmica das bilhas de barro do distrito de Kgatleng no Botswana e o Bingwala, que associa o canto e a dança tradicionais do reino Busoga do Uganda.

Mestres Oleiros

De acordo com a Unesco, a prática tsuana está em risco de extinção devido à diminuição do número de mestres oleiros, aos preços baixos dos produtos acabados e o aumento do uso de recipientes produzidos em massa.

Já o Bigwala, foi apontado por contar com apenas quatro mestres seniores com habilidades para atuar. Os outros recém-nomeados para a lista são as práticas artesanais da Indonésia e a tapeçaria tradicional do Quirguistão.

Candidatas

Para que sejam consideradas, as manifestações candidatas devem cumprir critérios, que incluem contribuir para a difusão do conhecimento do património cultural imaterial e promoção da consciência da sua importância.

A lista foi estabelecida em 2008, no âmbito da Convenção da Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. O objetivo é proteger as tradições orais do mundo, artes de representação, práticas sociais, habilidades e o conhecimento da natureza.