Iêmen promete acabar com recrutamento de crianças-soldado
BR

28 novembro 2012

A representante especial das Nações Unidas para Crianças e Conflitos Armados, Leila Zerrougui, disse que o período de transição no processo político do país oferece uma oportunidade única para eliminar a grave violência contra crianças.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Iêmen deu um grande passo para conseguir acabar com o uso de crianças-soldado em conflitos armados.

A representante especial das Nações Unidas para Crianças e Conflitos Armados, Leila Zerrougui, recebeu a promessa do governo, dos militares, de milícias e de grupos armados de não recrutar menores para lutar nas frentes de batalha.

Encontros

Zerrougui se reuniu com o presidente Abd Rabbo Mansour Hadi e com o primeiro-ministro Mohammed Saleh Basindwa.

A representante da ONU ouviu ainda crianças vítimas da violência e membros da sociedade civil.

Vergonha

Por causa do recrutamento de menores para lutar nos confrontos, a ONU incluiu na chamada “Lista da Vergonha”, as forças armadas do Iêmen, a Primeira Divisão Blindada, o grupo Al Houthi e as milícias tribais.

A promessa do governo, segundo Zerrougui, abre o caminho para criação de um plano de ação para prevenir, separar e reintegrar as crianças de volta à sociedade.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud