ONU agracia Desmond Tutu pelo papel na promoção dos Direitos Humanos

28 novembro 2012

Arcebispo emérito sul-africano vai receber o Prémio Unesco/Bilbau 2012; reconhecimento deve-se ao contributo na construção da nova democracia não-racial e liderança da Comissão da Verdade e Reconciliação do seu país.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, anunciou a premiação do arcebispo emérito sul-africano, Desmond Tutu, pelo seu contributo na construção de uma cultura universal dos direitos humanos.

Um comunicado, emitido nesta terça-feira, em Paris, realça que a seleção de Tutu para receber o Prémio Unesco/Bilbau 2012 surge pelo seu “papel de destaque na construção da nova democracia não-racial da África do Sul.”

Reconciliação

Foi igualmente salientada a “inestimável contribuição, como presidente da Comissão da Verdade e Reconciliação”, nomeadamente  na reconstrução do seu país. A iniciativa é tida como “um modelo para outras sociedades pós-conflito.”

Criado há 30 anos, o Prémio Unesco de Educação em Direitos Humanos inclui um cheque de US$ 30 mil, um diploma e um troféu de bronze concebido pelo artista japonês Toshimi Ishii.

Discriminação

O prémio reconhece o ativismo, especialmente com os jovens, para a “promoção da não-violência e oposição a todas as formas de discriminação e injustiça.”

O trabalho do clérigo em diversas questões nas Nações Unidas, incluindo na promoção de uma cultura de direitos humanos, foi igualmente levado em conta pelo júri, aponta a Unesco.

O prémio será formalmente entregue a 10 de Dezembro, o Dia dos Direitos Humanos. A cerimónia será realizada na capital francesa, com a participação da diretora-geral da Unesco e o edil da cidade espanhola de Bilbau, que financia a iniciativa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud