Onusida e Parceria pelo Fim da Tuberculose aliados para conter impacto da doença

27 novembro 2012

Agência quer tratamento imediato de recém-diagnosticados com o vírus que pode provocar a Sida e com tuberculose; ações visam reduzir, pela metade, as mortes de pessoas vivendo com o HIV/Sida até 2015

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque. *    

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Sida, Onusida, anunciou uma parceria com uma outra agência da ONU para conter as mortes de devido à tuberculose em pessoas vivendo com o vírus.

A doença é considerada a maior causa de morte de seropositivos. A agência defende que o risco é maior para grávidas e crianças.

Combinação letal

Bebés de mães seropositivas, que também tenham tuberculose, têm maior propensão a contrair a doença pulmonar e o risco de nascer com o HIV é mais do que o  dobro.

O diretor-executivo do Onusida, Michel Sidibé, lembrou que a combinação HIV/tuberculose é letal.

Tratamento

O objetivo da parceria é levar o número de mortes a zero. A recomendação do Onusida aos recém-diagnosticados com o vírus, e que também tenham tuberculose é que iniciem imediatamente o  tratamento contra a doença.

No acordo, firmado pelo Onusida com a Parceria pelo Fim da Tuberculose, as agências pretendem acelerar ações para reduzir, pela metade, as mortes de seropositivos até 2015. A medida é uma das Metas do Milénio.

Queda

Um estudo, divulgado pelo  Onusida, na semana passada, mostrou que houve uma queda de 13% nos casos de tuberculose associados ao HIV, nos últimos dois anos.

A melhoria deveu-se ao aumento do número de pessoas com acesso aos antiretrovirais, que subiu 45% em algumas áreas entre 2009 e 2011.

No ano passado, cerca de 8,7 milhões de pessoas contraíram a tuberculose. Deste total, mais de 1 milhão tinham o vírus que pode provocar a Sida.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud