Envio de remessas "caro" para migrantes dos Países Menos Avançados

26 novembro 2012

Uncatd refere que grupo de 48 países recebeu mais de $ 27 mil milhões de remessas de migrantes; relatório indica que custos de envio para África são três vezes superiores que os da média global.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Grande  parte dos fundos enviados por migrantes dos Países Menos Desenvolvidos, PMAs,  às terras de origem é absorvida por custos administrativos. A informação é da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad.

Num informe, divulgado esta segunda-feira, a agência aponta que o custo de envio dinheiro do estrangeiro para África é três vezes maior do que a média global. A região Subsaariana tem 33 países integrantes do bloco de 48 nações em desenvolvimento.

Necessidades

Em 2011, o grupo também conhecido por PMA recebeu mais de $ 27 mil milhões de suas remessas de cidadãos que trabalham no exterior, indica o relatório. A  maioria das transferências foi privada para cobrir necessidades como  alimentação e habitação.

Para a agência,  as remessas para a região poderiam ter gerado US$ 6 mil milhões adicionais em 2010, se os os custos administrativos fossem iguais à média global. Para a Unctad, o monopólio detido por poucas empresas que oferecem serviços de transferência internacional de dinheiro mantém os custos elevados.

Diáspora

O secretário-geral da agência, Supachai Panitchpakdi disse haver necessidade de o mundo, ou pelo menos os PMAs, melhorar os serviços bancários e financeiros de modo a que mais fundos da diáspora fossem canalizados para atividades económicas.

A recomendação é que sejam, igualmente, envolvidas instituições de microfinanças, cooperativas de crédito e agências de correio. Pelo facto de os correios terem grande cobertura nas áreas rurais, são tidos como veículo útil para que os trabalhadores transfiram as suas remessas para suas famílias.

Crescimento

O relatório defende a importância de as receitas além de comporem a renda, contribuírem para a redução da pobreza e para o investimento em setores industriais nos Países Menos Desenvolvidos

Apesar da crise financeira global, as previsões da Unctad apontam para um crescimento continuado das remessas, a médio prazo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud