Remessas para países em desenvolvimento devem subir 6,5% este ano
BR

23 novembro 2012

Banco Mundial estima fluxo de mais de US$ 400 bilhões em 2012; tendência de alta deve continuar no ano que vem.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 O fluxo de remessas para os países em desenvolvimento deve alcançar US$ 406 bilhões este ano, ou mais de R$ 800 bilhões, segundo estimativas do Banco Mundial. O total representa aumento de 6,5% em relação ao ano passado.

Apesar do aumento no envio de dinheiro, a crise econômica global atrapalha as remessas para regiões como Europa, Ásia Central e África Subsaariana.

Trabalhadores

A Índia lidera a lista dos países que mais recebem capital, com total de US$ 70 bilhões neste ano, seguida pela China, Filipinas, México e Nigéria.

A projeção global para 2013 é de 7,9% de crescimento.

O Banco Mundial destaca que apesar dos trabalhadores migrantes serem afetados pelo fraco crescimento da economia, o volume de dinheiro que eles enviam aos seus países de origem continua bom, sendo essencial para a renda de famílias pobres.

América Latina

Remessas para a América Latina e Caribe são sustentadas pela recuperação econômica e melhora no mercado de trabalho dos Estados Unidos, mas moderadas pela fraca economia europeia. O Banco Mundial destaca que a região deve fechar o ano com um modesto crescimento das remessas, de 2,9%, estimados em US$ 64 bilhões.

O Banco Mundial ressalta o alto custo para enviar dinheiro ao exterior como um dos obstáculos para um maior fluxo de remessas em algumas regiões. A taxa mais cara, de 12,4%, é para enviar dinheiro para países da África Subsaariana.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud