Gana com vacina contra a meningite especificamente concebida para África

Gana com vacina contra a meningite especificamente concebida para África

Até ao fim do ano, cerca de 3 milhões de pessoas terão acesso à  MenAfrVac; até 500 milhões de africanos estão em risco de contrair a doença, que pode causar danos cerebrais.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou o apoio ao lançamento de um programa de vacinação contra a meningite que vai abranger cerca de 3 milhões de pessoas no Gana.

Uma nova vacina especificamente desenvolvida para o continente africano será usada na iniciativa que decorre até ao fim do ano, revelou a agência. Considera-se que a  MenAfrVac tenha “reduzido significativamente o número de casos de meningite em outros países africanos.”

Cinturão

A doença, grave e potencialmente fatal, é causada por bactérias e afeta bebés, crianças e jovens adultos. Há receios de um alastramento generalizado da doença no chamado cinturão de meningite que se estende do Senegal à Etiópia e envolve 26 países.

Até 500 milhões de pessoas estão em risco de contrair a doença, que pode causar danos cerebrais. As sequelas incluem a perda de audição, convulsões e dificuldades de aprendizagem.

Mortes

Em 2009, o surto sazonal infetou pelo menos 88 mil pessoas e provocou mais de 5 mil mortes. Com a MenAfriVac pretende-se eliminar epidemias de meningite meningocócica A na região.

O produto foi desenvolvido pelo Projeto Vacina Contra a Meningite, uma parceria entre a OMS e organização internacional Path, financiada por doadores incluindo a Fundação Bill & Melinda Gates.

Até o final deste ano mais de 100 milhões de pessoas devem ser vacinadas contra a meningite A, e espera-se que todos os países do cinturão da meningite tenham introduzido a MenAfriVac até 2016.