Unesco quer investigação da morte de bloguista iraniano

Unesco quer investigação da morte de bloguista iraniano

Agência refere que Sattar Beheshti, de 35 anos, escreveu sobre política e direitos humanos no seu blog e morreu detido a 6 de Novembro.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Unesco, pediu esta quinta-feira que sejam investigadas as circunstâncias da morte de um bloguista iraniano.

Em nota, a agência refere que Sattar Beheshti, de 35 anos, escreveu sobre política e direitos humanos no seu blog intitulado “Magalh 91”. O jornalista cidadão morreu detido a 6 de Novembro, após ter sido preso no mês anterior.

Violência

A Unesco aponta que o corpo foi recuperado pela família para o funeral, tendo havido relatos de sinais de violência.

A diretora-geral, Irina Bokova,  exortou as autoridades a investigar o caso Beheshti e as circunstâncias exatas de sua morte.

Direitos

O comunicado realça que é essencial respeitar o direito dos jornalistas cidadãos e dos profissionais de “falar e escrever sem temer pela sua vida.”

Bokova sublinha que a liberdade de expressão é um direito humano básico e uma componente humana essencial da democracia, boa governação e Estado de direito.

Nesta segunda-feira, agências noticiosas citaram a media local referindo  a prisão de três pessoas em conexão com a morte do bloguista, sob custódia polícial.