Após naufrágios em Mianmar, Acnur faz apelo para abertura de fronteiras BR

Após naufrágios em Mianmar, Acnur faz apelo para abertura de fronteiras

Segundo agência, há relatos de que pelo menos dois barcos com 240 pessoas afundaram nas últimas semanas; violência étnica continua no país asiático.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, disse estar  “seriamente preocupado” com tragédias recentes na baía de Bengala, envolvendo civis que fugiam da insegurança e violência em Mianmar.

Segundo o Acnur, há relatos de que dois barcos afundaram com quase 240 pessoas. A agência não pôde confirmar as informações, mas ressalta haver relatos de 40 resgatados e corpos boiando nas águas.

Preocupação

O Acnur apela aos países da região para que mantenham as suas fronteiras abertas às pessoas de Mianmar que buscam asilo e proteção internacional.

Para a agência, os dois incidentes “marcam um início alarmante na temporada de navegação”, quando migrantes ilegais e candidatos a asilo arriscam a vida na baía de Bengala, em busca de uma nova oportunidade no sudeste asiático.

Segundo o Acnur, entre 7 mil e 8 mil pessoas saíram de Bengala na última temporada, entre outubro de 2011 e março deste ano. A preocupação é que um número maior faça o mesmo nas próximas semanas.

Minoria

A agência pede ação urgente ao governo de Mianmar para resolver questões ligadas ao problema de cidadania relacionada aos rohingyas, uma minoria muçulmana que vive no estado de Rakhine, a oeste do país.

O Acnur lembra que só neste ano, a violência na região já matou dezenas de pessoas, destruiu milhares de casas e deixou mais de 110 mil deslocados.