Mais de 100 mil deslocados devido à violência intercomunitária no Mianmar

Mais de 100 mil deslocados devido à violência intercomunitária no Mianmar

Mais de um terço são da última onda de violência iniciada no mês passado; confrontos envolvem budistas da etnia rakhine e muçulmanos rohingyas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A violência intercomunitária na província de Rakhine, no Mianmar, já fez mais de 110 mil deslocados, indicou esta segunda-feira o Escritório da ONU para Assuntos Humanitários, Ocha.

O mais recente balanço aponta para mais de 35 mil desalojados como resultado da última onda de violência iniciada no mês passado. Os confrontos envolvem budistas da etnia rakhine e os rohingyas, uma minoria muçulmana apátrida.

Acesso

O Ocha refere-se a uma situação “volátil e muito tensa”, apesar de ações do  governo para controlar a situação, além da necessidade de  garantir o acesso completo “ao número crescente de deslocados.”

A agência aponta que a segurança na província continua tensa e prevê que ocorram mais deslocamentos. Desde o recrudescimento da última onda de violência, perto de 89 pessoas morreram e mais de 5,3 mil casas e edifícios religiosos foram destruídos.

A população deslocada carece “urgentemente de alimentos, de abrigo e de cuidados de saúde” nos locais de hospedagem  com acesso limitado devido à insegurança.