Após Sandy, sede da ONU vai reavaliar formas de lidar com desastres
BR

1 novembro 2012

Chefe de gabinete do Secretário-Geral falou a jornalistas sobre os danos causados pelo furacão ao prédio da organização, em Nova York; teto da Assembleia Geral sofreu avarias assim como equipamentos de comunicação.

 Mônica Villela Grayley e Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

As Nações Unidas informaram que estão reavaliando a forma como lidam com desastres naturais após a passagem do furacão Sandy, em Nova York.

A sede da ONU fica às margens do East River, cujas águas se misturaram ao do rio Hudson com as fortes chuvas e ventos causados pela passagem do furacão, na segunda-feira.

Novas Instalações

Em entrevista a jornalistas, altos funcionários da ONU enumeraram alguns danos deixados pelo Sandy na sede, como por exemplo avarias no teto do hall da Assembleia Geral. Mas de acordo com um porta-voz do projeto de reforma da organização, os danos ocorreram no teto temporário, o que não afeta as novas instalações.

A chefe de gabinete de Ban Ki-moon, Susana Malcorra, afirmou que a organização irá analisar como lidar com outros possíveis desastres daqui para frente.

Energia Elétrica

 A chefe de gabinete informou que a tarefa agora será de reavaliar a forma como a sede lida com emergências, porque segundo ela, ninguém pode afirmar que um furacão como o Sandy não venha a se repetir. Ela disse que a avaliação foi pedida pelo Secretário-Geral Ban Ki-moon.

O subsecretário-geral da Segurança, Gregory Starr, informou que o sistema de energia elétrica foi cortado pelo próprio prédio para avaliar os danos causados pelo furacão.

Starr contou que o tamanho das perdas só ficou claro na terça-feira pela manhã. Ele disse que foi como um efeito dominó, uma vez que o nível das cheias foi bem superior ao que estava sendo esperado. O nível das águas do East River subiu, e com as enchentes da rodovia FDR, que fica perto da ONU, as cheias atingiram o prédio. Vários pisos da ONU no subsolo ficaram alagados e o sistema de mensagens foi afetado.

Arquivos

O furacão não causou nenhuma perda humana à organização. Os serviços de arquivo, que ficam no subsolo do prédio, conseguiram ser poupados.

De acordo com dados oficiais, 70 pessoas morreram nos Estados Unidos com as enchentes. Ainda há milhões de lares sem energia nos estados de Nova York e Nova Jersey.

As Nações Unidas ainda estão analisando o montante dos prejuízos econômicos causados pelo Sandy.

*Apresentação: Leda Letra

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud