Economia de Moçambique permanence flutuante, diz FMI

2 novembro 2012

Missão do órgão encerra visita ao país; grupo estima que Produto Interno Bruto deve crescer 7,5% neste ano.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Fundo Monetário Internacional, FMI, indica que a economia moçambicana “permanece flutuante, apesar do fraco ambiente económico global”. Uma missão do órgão, dirigida por Doris Rossi, encerrou uma visita de duas semanas ao país.

Segundo a representante, com a produção de carvão e as exportações, o Produto Interno Bruto, PIB,  deve atingir 7,5% este ano. A inflação no preço final ao consumidor alcançou a marca de 1,2% em Setembro, a menor da região.

Exportações

O FMI afirma ainda que as exportações e o investimento estrangeiro directo permanecem fortes em Moçambique, o que fortaleceu as reservas internacionais neste ano.

A missão elogiou o compromisso das autoridades moçambicanas em preservar a estabilidade e manter o crescimento económico. Foram ainda recomendados esforços para a melhoria da produção agrícola, promoção da ampla criação de empregos e apoio ao desenvolvimento humano e social.

Crescimento

O FMI diz concordar com as reformas do governo, em prol do fortalecimento do crescimento sustentável a longo prazo. Apoia igualmente esforços com vista à redução da pobreza por meio do maneio do financiamento público, políticas de impostos, gestão do débito e luta contra a corrupção.

O grupo do FMI teve encontros com os ministros do Plano e Finanças, representantes do parlamento, do Banco de Moçambique e visitou a maior exportadora do país, Mozal, além do Porto de Maputo.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud