Cerca de 200 milhões de jovens no mundo não terminaram escola primária BR

Cerca de 200 milhões de jovens no mundo não terminaram escola primária

Unesco quer medidas urgentes de ensino de um ofício para o grupo, que vive em países em desenvolvimento; agência lançou o 10º Relatório Global de Monitoramento Educação para Todos, em Paris.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, disse que o mundo precisa encontrar formas alternativas de ensinar habilidades básicas para 200 milhões de jovens, em países em desenvolvimento.

Segundo a agência, 200 milhões de pessoas entre 15 e 24 anos não terminaram a escola primária. O número equivale a 20% dos jovens nessa região do mundo.

Crise Econômica

O alerta foi feito, nesta terça-feira, durante o lançamento do 10º Relatório Global de Monitoramento Educação para Todos, em Paris.

A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, disse que a situação causa frustração em toda uma geração jovem que experimenta um desencontro entre habilidades aprendidas e o mercado de trabalho.

Para ela, a melhor resposta ao desemprego de jovens e à crise econômica é o treinamento de trabalhadores para que eles possam aprender um ofício e viver com dignidade.

Financiamento

O relatório “Colocando a Educação para Funcionar” sugere ainda que um em cada oito jovens não tem emprego hoje em dia. Isso num momento em que a população juvenil é a maior da História.

Cerca de 25% estão vivendo abaixo da linha da miséria.

O documento também analisa a situação de jovens na América Latina e no Caribe. Um em cada 12 alunos não termina a escola primária. Quase metade da população é jovem nesta parte do mundo.

Já na África Subsaariana, uma das regiões com a maior carência na educação primária, há casos de sucesso em Botsuana e Gana. Após usar a receita com o comércio de diamantes para financiar a educação no país. A taxa de matrículas representa o dobro da registrada no continente.

Jornal

Em todo o mundo, 250 milhões de crianças, matriculadas em escolas primárias, continuam analfabetas. E 71 milhões de adolescentes estão foram da escola.

Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento da Europa, Ocde, revelam que 160 milhões de adultos, em países desenvolvidos, não tem as habilidades necessárias para se candidatar a um emprego ou lerem o jornal.

Mas a Unesco também chama a atenção para o déficit de financiamento dessas medidas. Para levar educação primária a quem precisa até 2015, o mundo terá que desembolsar US$ 16 bilhões, equivalentes a R$ 32 bilhões.

Dados mostram que para cada dólar investido na educação de uma pessoa, pode haver um crescimento até 15 vezes maior na economia.

Segundo a Unesco, as escolas de segundo grau precisam oferecer um equilíbrio entre o ensino geral e a educação profissionalizante.