Brasil e Portugal discursam no Conselho de Segurança sobre crise na Síria
BR

15 outubro 2012

Embaixadora brasileira pediu um cessar-fogo imediato no país; representante de Portugal condenou o ataque sírio à Turquia. 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança se reuniu nesta segunda-feira para debater a situação no Oriente Médio. Os países membros do Conselho ouviram um relatório sobre o conflito israelense-palestino e detalhes da atual crise na Síria.

Dos países de língua portuguesa, discursaram Brasil e Portugal. O embaixador português, José Filipe Moraes Cabral, abordou os combates na Síria e condenou o ataque do país árabe à Turquia logo no início de seu discurso.

Para José Filipe Moraes Cabral, o bombardeio das forças sírias ao território da Turquia, voltou a expor o que ele chamou de “séria crise da Síria à paz e à segurança regionais”. O embaixador disse que violações, como essa, da lei internacional que vitimam os civis são inaceitáveis.

A embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeiro Viotti, que também participou da reunião, pediu o fim imediato dos confrontos entre tropas do governo e opositores do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

A embaixadora disse que o Brasil reafirma o apoio ao que chamou de “aspirações legítimas” do povo sírio, e voltou a dizer que a maior parte da responsabilidade pela violência está nas mãos do governo.

Ainda na reunião, os países-membros do Conselho de Segurança debateram a situação do conflito israelense-palestino. Em seu discurso, a embaixadora Ribeiro Viotti lembrou que o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, está na região para discutir o tema. Patriota visitou Ramallah, capital da Cisjordânia, nesta segunda-feira, um dia após se reunir com autoridades de Israel.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud