Chefe de agência da ONU quer integração contra crimes transnacionais
BR

16 outubro 2012

Na abertura de Convenção das Nações Unidas sobre o tema, Yury Fetodov pede cooperação interconectada contra esse tipo de crime organizado, que movimenta US$ 870 bilhões.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 O diretor do Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, Unodc, pediu uma integração internacional para o combate a crimes transnacionais. O apelo foi feito nesta segunda-feira, em Viena, na abertura da Convenção contra o Crime Transnacional Organizado.

Yury Fedotov defendeu o “fim da era dos deslocamentos”, em referência às organizações criminosas que simplesmente mudam de lugar quando encontram algum obstáculo a suas ações. A declaração foi feita num encontro dos países-partes da Convenção.

Vítimas

O chefe do Unodc ressaltou que “onde os criminosos são inteligentes é preciso ser ainda mais inteligente e onde os crimes ultrapassam fronteiras, a cooperação internacional é necessária”.

Fedotov citou ainda o “papel indispensável da sociedade civil” em ajudar a resolver os desafios dessas práticas. Ele pediu aos países que sejam criativos e proativos na troca de informações sobre a luta global contra drogas e crimes.

Segundo Yury Fedotov, o crime transnacional organizado “movimenta US$ 870 bilhões por ano, mas é impossível calcular a miséria e o sofrimento causado a milhões de pessoas”. Fedotov lembrou que entre as vítimas, estão mulheres e crianças usadas para tráfico sexual e usuários de drogas ilícitas”.

Representantes de governos e da sociedade civil participam da conferência do Unodc até esta sexta-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud