Unicef marca Dia Global de Lavagem de Mãos com mensagens de texto BR

Unicef marca Dia Global de Lavagem de Mãos com mensagens de texto

Iniciativa, que ocorre no Iêmen, é parte de uma série de eventos para marcar a data, organizada pelas Nações Unidas; todos os dias, 1,8 mil crianças morrem de diarreia por não terem acesso à água potável e ao saneamento.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, está comemorando neste 15 de outubro o Dia Global da Lavagem de Mãos. O objetivo é alertar o mundo para a necessidade da higiene na prevenção de doenças e mortes.

Segundo o Unicef, 2 mil crianças morrem, diariamente, por causa da diarreia. Deste total, 1,8 mil são mortes de crianças que não têm acesso a saneamento básico, água potável e higiene.  O Dia está sendo comemorado com uma série de eventos pelo mundo.

Alunos

No Iêmen, no sudoeste da Ásia, o Unicef está enviando 2,5 milhões de mensagens de celular sobre a importância da higiene. Ainda no país, 1 milhão de alunos, estão participando do evento.

Lavar as mãos com água e sabão pode ajudar a salvar centenas de milhares de vidas todos os anos.

Na cidade de Nova York, por exemplo, funcionários de restaurantes e outros estabelecimentos são obrigados por lei a lavarem as mãos, todas as vezes que usam os banheiros, como explicou Rogério, garçom de um restaurante brasileiro em Manhattan.

Restaurante

“Todos os restaurantes em que você entra aqui você vê este sinal (anúncio) os ‘empregados são obrigados a lavar as mãos antes de retornar ao trabalho.’

Este trabalho é levado a sério aqui pelo menos. Eu já vi restaurante em que o pessoal não liga muito para isso. Mas aqui o assunto é levado a sério, eles são muito organizados em relação a isso.”

O Dia Global de Lavagem de Mãos também está sendo comemorado na Índia, onde 1,3 milhão de alunos das escolas primária e secundária estão participando dos eventos.

Em mensagem, a relatora das Nações Unidas para o Direito à Água e ao Saneamento, Catarina de Albuquerque, disse que o tema da higiene tem que se tornar uma prioridade nos orçamentos nacionais de todos os governos, em currículos escolares e atividades de promoção. Segundo ela, tudo começa com uma simples ação envolvendo água e sabão.