OMS condena ataques a instalações de saúde na Síria BR

OMS condena ataques a instalações de saúde na Síria

Em nota, agência da ONU se mostrou “profundamente preocupada” com as consequências sobre pacientes, médicos e ao que resta da infraestrutura hospitalar do país.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde condenou com veemência ataques a unidades de atendimento médico na Síria.

Com a escalada da violência, vários postos e hospitais foram danificados. Em nota, a OMS lembrou que é obrigação de todas as partes envolvidas nos combates de proteger os civis, o pessoal da saúde e postos de atendimento.

Fora de Circulação

A agência da ONU informou que está “profundamente preocupada” com os danos causados ao que ainda resta da infraestrutura hospitalar da Síria.

De acordo com relatos recebidos pela OMS, quase 67% dos hospitais públicos foram afetados pelo conflito e 29% estão fora de funcionamento. Os danos causados a ambulâncias, mais da metade da frota, estão dificultando o socorro de pacientes e tratamentos de emergência, que antes eram feitos a caminho do hospital.

Quase 180 veículos estão fora de circulação.

Peregrinação

Nesta segunda-feira, o enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Lakhdar Brahimi, pediu às autoridades do Irã que ajudem a Síria a alcançar um cessar-fogo durante o feriado do Eid al Adha, no próximo dia 26.

A data é considerada uma das mais sagradas do calendário islâmico, quando os muçulmanos marcam o fim do hajj, peregrinação a Meca.

Brahimi se reuniu em Teerã com o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad e o líder do Conselho Nacional de Segurança, além de outras autoridades.