Vítimas de cheias no Paquistão começam a receber ajuda humanitária BR

Vítimas de cheias no Paquistão começam a receber ajuda humanitária

Enchentes afetaram cerca de 5 milhões de pessoas em pelo menos três províncias; mais de 260 mil ficaram desabrigados e quase 10 mil cabeças de gado foram perdidas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório das Nações Unidas para Assistência Humanitária, Ocha, informou que as vítimas das cheias no Paquistão começaram a receber ajuda humanitária.

As três províncias mais afetadas pelas enchentes foram Sindh, Punjab e Baluquistão. Segundo o Ocha, mais de 1 milhão de acres de terra cultivável foram submersos. As chuvas mataram ainda cerca de 10 mil cabeças de gado no país.

Doenças

Uma outra preocupação é com as águas paradas que estão espalhando doenças e contaminando as redes de abastecimento de água.

O porta-voz do Ocha, Jens Larke, afirmou que mais de 260 mil pessoas tiveram que se mudar para abrigos temporários.

Nas províncias de Sindh e Baluquistão, o Ocha e outras agências humanitárias estão entregando comida a 140 mil pessoas, todos os meses.

Barco

E quase 450 mil paquistaneses estão recebendo remédios contra doenças. As duas províncias estão numa situação mais grave porque ainda não haviam se recuperado das enchentes de 2010 e 2011 na região.

O Unicef informou que as cheias deste ano danificaram 3,2 mil escolas.

Em algumas áreas, o governo local e agências humanitárias ainda tentam resgatar as vítimas usando pequenos barcos e outras embarcações.