Ban afirma que investir em meninas é imperativo moral

11 outubro 2012

Nações Unidas celebram nesta quinta-feira o primeiro Dia Internacional da Menina; Secretário-Geral lembra que em todo o mundo, existem garotas sofrendo abuso e discriminação.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 Em Nova York, Lauren, de apenas quatro anos, diz que já sabe que profissão quer ter.

“Uma teacher. Uma professora. Porque eu quero.”

Já Luana, de seis anos, que mora em São Paulo, tem outro sonho.

 “Uma estilista, que faz vestido. Porque eu quero desenhar vestidos.”

Para garantir que os sonhos de Lauren, Luana e de milhões de meninas em todo o mundo sejam realizados, as Nações Unidas celebram neste 11 de outubro o primeiro Dia Internacional da Menina.

Direitos e Autonomia

A data promove os direitos e a autonomia das garotas com até 18 anos de idade. Em mensagem sobre o dia, o Secretário-Geral da ONU afirmou que “investir em meninas é um imperativo moral; uma questão básica de justiça e igualdade.”

Luana faz desenhos pensando em ser estilista

Ban Ki-moon lembrou que o tema é uma obrigação prevista na Convenção dos Direitos da Criança e é crítico para o alcance das Metas do Milênio, para o crescimento econômico e  construção de sociedades pacíficas.

Violência

O Secretário-Geral ressaltou ainda que diariamente, meninas em todo o mundo sofrem discriminação, violência e abusos, considerada por Ban uma “realidade alarmante”.

O ativista, prêmio Nobel da Paz e arcebispo Desmond Tutu, também participou das comemorações do dia na sede da ONU em Nova York.

Desmond Tutu considera a data um “reconhecimento da discriminação que vem incomodando mulheres e meninas durante séculos.” O casamento infantil é o foco deste primeiro Dia Internacional da Menina.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud