Ban aborda estratégia para o Sahel com presidente francês

9 outubro 2012

Nesta terça-feira, Secretário-Geral anunciou a intenção de nomear antigo primeiro-ministro italiano para liderar plano para a região africana;  encontro reafirma apelo ao  fim da violência e ao fornecimento de armas na Síria.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral referiu que temas como armas, refugiados e terrorismo serão foco da estratégia global sobre questões transfronteiriças na região africana do Sahel, a ser desenvolvida pelas Nações Unidas.

Falando à imprensa, nesta terça-feira, em Paris, Ban Ki-moon revelou ter abordado o tema durante um encontro mantido com o presidente francês, François Hollande.

Enviado Especial

Após a reunião, Ban disse que vai propor ao Conselho de Segurança a nomeação do ex-primeiro-ministro italiano, Romano Prodi, como seu enviado especial para o Sahel.

Na ocasião, Ban manifestou tristeza com incidentes antissemitas recentemente ocorridos na França, para os quais reafirmou “rejeição da ONU a quaisquer atos de ódio ou da intolerância religiosa.”

Transição

Relativamente à Síria, o Secretário-Geral reiterou o seu apelo com vista ao fim da violência e ao fornecimento de armas, tendo defendido uma transição liderada pelos sírios “o mais rápido possível.”

Para o chefe da ONU, a escalada do conflito ao longo da fronteira sírio-turca e o” impacto da crise síria no Líbano e nos países vizinhos são extremamente perigosos.”

Ban Ki-moon descreveu o conflito como “um desastre regional com ramificações globais.” A ONU estima que mais de 18 mil pessoas morreram em um ano e meio, como resultado de confrontos entre forças leais e opositores do presidente sírio, Bashar al-Assad.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud