Crescimento económico deve manter-se na África Subsaariana

Crescimento económico deve manter-se na África Subsaariana

Estudo do Banco Mundial defende que valor deve rondar 4,8% ; estudo indica um aumento das exportações no continente durante o primeiro trimestre deste ano.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O crescimento económico da África Subsaariana deverá situar-se em torno dos 4,8% em 2012, de acordo com o novo informe do Banco Mundial.

Na sua análise semestral, o órgão refere que os fatores que determinam as perspetivas económicas continuam praticamente inalterados após ter sido atingida a taxa de crescimento de 4,9 % no ano passado.

Exportações

O estudo indica um aumento das exportações no primeiro trimestre deste ano, para um ritmo anual de 32%. No último trimestre do ano passado registou-se uma queda de 11 pontos negativos.

Falando à Rádio ONU, em Nova Iorque, antes da divulgação do relatório, o secretário executivo da Comunidade dos Países da África Austral, Sadc, Tomás Salomão, abordou os desafios económicos do continente.

Serviços Básicos

“Este é o grande desafio que se põe à região, que se põe ao continente africano de que uma vez conquistada a paz, a estabilidade política, a independência política devemos concentrar-nos em fazer com que os nossos cidadão tenham maior poder de compra, acesso aos serviços básicos, educação, saúde e habitação que nos conduza de uma situação de economias mais atrasadas para economias de rendimento médio”, explicou.

O Banco Mundial indica que, à excepção África do Sul, a maior economia do continente, o crescimento na África Subsaariana deve aumentar para 6%.

Os países africanos não ficaram imunes a fenómenos como a volatilidade do mercado, na sequência da crise na zona do euro, e a desaceleração do crescimento países em desenvolvimento como a China.