Apelo para que recursos naturais possam “fortalecer a paz” em Moçambique

4 outubro 2012

Na celebração dos 20 anos da paz, representante das Nações Unidas fala do que considera próxima fronteira para o país após reconciliação.

Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo.

As Nações Unidas elogiaram Moçambique pela “maturidade” no respeito ao Acordo Geral de Paz rubricado há 20 anos na capital italiana, Roma.

Em declarações à Rádio ONU, de Maputo, a representante da organização em Moçambique, Jennifer Topping, assegurou total apoio ao país, face à recente descoberta de hidrocarbonetos.

Fronteira

“Isso é a próxima fronteira para combater a pobreza e para fortalecer a paz, porque os recursos naturais têm a potencialidade de reduzir a pobreza completamente e, em alguns casos do mundo, criar também atenção em alguns efeitos de paz”.

O pacto marcou o fim de 16 anos de conflito entre o governo e antigos rebeldes da Renamo.

Estabilização

Jennifer Topping lembrou o contributo da  ONU na estabilização de Moçambique até 1994, ano da realização das primeiras eleições presidenciais e legislativas.

“Há poucos países no mundo que saíram de uma guerra prolongada que conseguiram sustentar, criar e construir a paz durante 20 anos.”

No país, as celebrações foram marcadas pela expressão “Viva a paz, olá paz, olá paz”, contida no discurso do presidente da República, Armando Guebuza, no pronuncciamento no âmbito do Dia de Reconciliação Nacional.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud