Desemprego entre jovens dos países do G-20 é alarmante, diz OIT
BR

3 outubro 2012

Taxa, no Brasil, varia de 15% a 18%, mas chega à metade da juventude em idade produtiva, em outros países; organização pede melhor transição entre estudos e empregos.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 A situação de emprego entre jovens continua crítica na avaliação da Organização Internacional do Trabalho, OIT. Segundo a agência, 16% ou  17,7 milhões estão desempregados nos países do G-20, o grupo das 20 maiores economias do mundo que inclui o Brasil.

Nesta quarta-feira, em Genebra, a OIT apresentou um documento sobre o tema, destacando que nos últimos 12 meses, o desemprego entre os jovens aumentou em 10 países do grupo.

Brasil e Espanha

Brasil, Argentina, Canadá e Estados Unidos têm índices que variam de 15% a 18%. As piores taxas de desemprego entre jovens estão na Itália, na África do Sul e na Espanha: de 35% a 52%.

Antes da divulgação dos dados, a representante da OIT em Nova York, Telma Viale, disse à Rádio ONU que para mudar o cenário, os governos precisam investir em programas sociais.

 “Ver essas políticas sociais que são necessárias para prevenir que essa juventude se perca. Os jovens, se não estudam nem trabalham, estão realmente muito vulneráveis à criminalidade, para desfragmentar a sociedade. É muito importante ter esse enfoque, para ajudar os jovens hoje. A proposta dos programas sociais, com piso social, poderia dar esse mínimo para eles.”

A OIT defende a criação de programas de aprendizagem para pessoas de 16 a 24 anos de idade, para facilitar a transição entre estudos e trabalho. Em junho, a agência lançou um plano de ação para combater o desemprego na juventude.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud