Crises humanitárias atingem nível incomparável, diz António Guterres
BR

1 outubro 2012

Chefe do Acnur alerta para tensão causada por combinação de novos e antigos conflitos; só neste ano, mais de 700 mil já saíram da Síria, do Mali e da RD Congo.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Mais de 700 mil refugiados saíram da Síria, Sudão, Sudão do Sul, Mali e República Democrática do Congo desde o começo do ano. Os dados são do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur.

Segundo o chefe da agência, António Guterres, a combinação de novos conflitos e outros antigos ainda não resolvidos gerou “uma crise de refugiados incomparável na História recente”.

Teste

Guterres afirmou, nesta segunda-feira em Genebra, que a capacidade do Acnur em atender os refugiados está sendo “radicalmente testada”.

Falando em inglês, o chefe do Acnur disse que as operações da agência na África estão “dramaticamente subfinanciadas” e que “não há reservas de dinheiro disponíveis”. Para o ex-primeiro-ministro de Portugal, isto é fator de “profunda preocupação”.

Comitê

Durante a reunião anual do Comitê Executivo do Acnur, Guterres agradeceu aos países que mantém suas fronteiras abertas aos refugiados e aos doadores que apoiam o trabalho humanitário da agência.

O alto comissário apelou ao comitê para “renovar o compromisso coletivo com os que estão afastados de suas casas”. O grupo de 87 membros se reúne todos os anos para aprovar os programas e o orçamento do Acnur.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud