Obama apela à honestidade para solução de tensões entre Mundo Árabe e Ocidente

25 setembro 2012

Na abertura dos debates da Assembleia Geral, Barack Obama pede resolução pacífica de disputas e fala do programa nuclear iraniano.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O presidente norte-americano pediu que haja honestidade na busca de uma solução para o que chamou “tensões entre o Ocidente e o mundo árabe, seguindo um caminho em direção à democracia.”

Num discurso para líderes mundiais na abertura dos debates da Assembleia Geral, Barack Obama abordou a violência provocada por um vídeo anti-Islão, ao qual considerou “um ataque aos ideais sobre os quais a ONU foi fundada.”

Escolha

No pronunciamento, Obama referiu que mundo está diante da escolha entre as forças que o separam e as esperanças comums, tendo  apelado aos líderes mundiais que optem pela resolução pacífica de disputas.

"De acordo com o líder, não há  palavras que justifiquem o assassinato de inocentes nem vídeo que justifique o ataque a uma embaixada. Ele acrescentou que não há calúnia que sirva de desculpa para que seja incendiado um restaurante no Líbano, destruída uma escola em Tunis, ou seja causa de morte e de destruição no Paquistão.

Extremistas

Em meados de Setembro, o embaixador Christopher Stevens e três outros diplomatas foram mortos na cidade líbia de Bengazi, quando supostos extremistas religiosos líbios invadiram o Consulado dos Estados Unidos.

A produção, alegadamente da autoria de um norte-americano do estado da Califórnia, foi pretexto para manifestações violentas que se alastraram por várias cidades do Norte da África e do Médio Oriente.

Violência

Mas o presidente norte-americano considerou uma obrigação dos líderes mundiais que abordem vigorosamente a violência e o extremismo.

Relativamente ao Irão, o líder norte-americano disse acreditar numa resolução diplomática da questão nuclear, referiu haver tempo e espaço para o efeito.

Irão

Obama disse que o seu país respeita o direito do acesso das nações à energia nuclear para fins  pacíficos, um dos propósitos das Nações Unidas. Entretanto, o líder norte-americano advertiu que o Irão com armas nucleares não é um desafio que possa ser contido.

O líder norte-americano indicou  os Estados Unidos apoiam o que chamou forças de mudança que derrubaram regimes na Tunísia, no Egito, na Líbia e no Iémen, tendo pedido o fim do regime do presidente Bashar al-Assad na Síria.

Estima-se que mais de 18 mil pessoas tenham morrido devido ao conflito no país árabe, na sequência de protestos antigovernamentais iniciados em Março do ano passado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud