Registados cerca de 19 mil casos de cólera na Serra Leoa

20 setembro 2012

Cerca de seis em cada 10 casos ocorrem na capital, Freetown; falta de saneamento e escassez de água potável estão entre os principais fatores de propagação da doença.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

O surto de cólera na Serra Leoa continua a evoluir e o número de casos notificados ronda os 19 mil, indica a Organização Mundial de Saúde, OMS.

Num comunicado emitido esta quinta-feira, em Genebra, a agência refere que a capital, Freetown, continua a ser o epicentro da epidemia que já fez 273 mortos. Cerca de seis em cada 10 casos ocorrem no maior centro urbano do país.

Saneamento

A falta de saneamento e a escassez de água potável estão entre os principais fatores para a propagação da cólera, que afeta vários países da região da África Ocidental.

A agência indica que a deficiência da infraestrutura impede que os trabalhadores de saúde cheguem às  comunidades afetadas das zonas rurais.

A falta de acesso por via rodoviária, que impede a deslocação de um local o para outro, está entre as limitações de logística “extremamente complexas” citadas pelas autoridades.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud