Registados cerca de 19 mil casos de cólera na Serra Leoa

Registados cerca de 19 mil casos de cólera na Serra Leoa

Cerca de seis em cada 10 casos ocorrem na capital, Freetown; falta de saneamento e escassez de água potável estão entre os principais fatores de propagação da doença.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque. 

O surto de cólera na Serra Leoa continua a evoluir e o número de casos notificados ronda os 19 mil, indica a Organização Mundial de Saúde, OMS.

Num comunicado emitido esta quinta-feira, em Genebra, a agência refere que a capital, Freetown, continua a ser o epicentro da epidemia que já fez 273 mortos. Cerca de seis em cada 10 casos ocorrem no maior centro urbano do país.

Saneamento

A falta de saneamento e a escassez de água potável estão entre os principais fatores para a propagação da cólera, que afeta vários países da região da África Ocidental.

A agência indica que a deficiência da infraestrutura impede que os trabalhadores de saúde cheguem às  comunidades afetadas das zonas rurais.

A falta de acesso por via rodoviária, que impede a deslocação de um local o para outro, está entre as limitações de logística “extremamente complexas” citadas pelas autoridades.