Revelada aposta de intensificação da cooperação empresarial na Cplp

19 setembro 2012

Componentes social e de infraestrutura abordados pelo embaixador de Moçambique  junto das Nações Unidas, António Gumende.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O envolvimento do setor empresarial aliado à cooperação diplomática na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, será vital na presidência moçambicana do bloco.

Impulso

As declarações foram feitas, em Nova Iorque, pelo embaixador de Moçambique  junto das Nações Unidas, António Gumende. O país  diz planear um impulso no comércio e no desenvolvimento dos países-membros.

“Moçambique tem eleito como parte das prioridades da sua presidência dos dois anos, a questão da intensificação da cooperação dentro da própria Cplp, como da Cplp como o resto do mundo. A questão da operacionalização, a questão do envolvimento e o desenvolvimento dos empresariados dos países membros para que a cooperação político-diplomática também se possa traduzir em benefício para o desenvolvimento.”

Parcerias

O diplomata moçambicano realçou a existência de parcerias rentáveis que já estão em implementação.

“No caso de Moçambique, o investimento brasileiro ou português aparece como mais substancial. O envolvimento de empresas brasileiras, por exemplo, na mineração, na construção de infraestrutura. E além disso, outros projetos e programas que têm uma componente social. O projeto Pró-Savana envolve Brasil, Japão e Moçambique no desenvolvimento da agricultura.”

O desenvolvimento de uma estratégia de comércio no bloco começou a ser discutida este ano. Em 2011, a cooperação de países lusófonos com o território de Macau, na China, rendeu cerca de US$ 117  mil milhões.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud