Embaixadora brasileira realça sucesso na cooperação com países africanos

14 setembro 2012

Projetos de solidariedade  despertaram interesse de uma relatora das Nações Unidas; cooperação inclui a plataforma África-Brasil de Inovação Agropecuária e o Fundo Ibas, entre o país e a África do Sul.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque

A embaixadora do Brasil em Genebra, Maria Nazareth Farani Azevêdo, destacou o interesse do modelo de cooperação Sul-Sul para potências económicas ocidentais.

Falando à Rádio ONU, da cidade suíça, a diplomata abordou o que chama sucesso de projetos de solidariedade, que despertaram a atenção de uma relatora das Nações Unidas que escolheu o Brasil para a sua primeira viagem após assumir o cargo.

Parceria Triangular

 “Têm até gerado interesse por parte de alguns países desenvolvidos de, em alguma forma participar dela. É o caso por exemplo dos Estados Unidos que buscam o que chamamos “parceria triangular”, porque o Brasil, os EUA ou outro país desenvolvido, e o país beneficiário. Mas essa cooperação triangular se dá dentro dos princípios e das diretrizes da cooperação Sul-Sul”, frisou.

A perita independente da ONU sobre Direitos Humanos e Solidariedade Internacional,Virgínia Dandan, deve apresentar o seu informe ao Conselho dos Direitos Humanos, em Setembro do próximo ano. A ação deve seguir-se a uma desloção que tem programada para África, após ter visitado o Brasil.

Marca

Maria Nazareth Farani Azevêdo chamou a atenção para o que considerou marca do seu país, na cooperação bilateral com os parceiros africanos.

“Nos buscamos não aquela velha relação entre o doador e o beneficiário, que é hierarquizada. O que a gente busca é construir uma parceria -  dar uma cooperação sem impor condições nem condicionalidades. Antes de trabalhar nessa cooperação, o que o Brasil busca é sentar com o parceiro, desenhar o projeto bom para as duas partes e implementar. O projeto acontece inspirado numa solicitação daquele país - não se diz ao país africano o que é bom para si, mas é um projeto desenhado por ambos a partir das necessidades daquele país”, referiu.

Produção

A cooperação inclui a plataforma África-Brasil de Inovação Agropecuária e o Fundo Ibas, entre o país e a África do Sul. O Brasil investe, igualmente, na área do algodão e na produção de antirretrovirais.

Em Março de 2012, foi lançada a iniciativa “Purchase from Africans for África” – ou comprar dos africanos por África, um programa que envolve populações rurais de cinco países do continente.

A parceria com o Programa da ONU para a Alimentação e a Organização da Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO abrange Moçambique, Etiópia, Malaui, Níger e Senegal.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud