“Progressos importantes” na mortalidade de menores em países lusófonos

13 setembro 2012

Relatório multiagencial sobre o número de mortes de crianças com menos de cinco anos revela, entretanto,  que oito em cada dez crianças menores de cinco anos morrem em África e na Ásia.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Os países de língua portuguesa podem celebrar progressos alcançados na mortalidade de crianças com menos de cinco anos, indica a Organização Mundial da Saúde, OMS.

As declarações foram feitas esta quarta-feira pela médica da agência, Regina Ungerer, em Genebra, a seguir  ao lançamento do relatório “Compromisso pela Sobrevivência Infantil: uma Promessa Renovada.”

O estudo indica que, em todo o mundo, o  ritmo de redução da mortalidade infantil acelerou de forma acentuada desde o ano 2000. Além da OMS, o informe, que analisa o período entre 1990 e 2010, envolveu o Banco Mundial e o Fundo da ONU para a Infância, Unicef.

Questões Sociais

“A mortalidade de menores de cinco anos em Moçambique caiu, por exemplo, de 910 para 490, é quase metade no ano de 2010. Mostra um enorme progresso nas questões nas questões de sociais, programa de vacinação, melhorias de acesso aos serviços de saúde e outras.O outro país que teve uma enorme diminuição, mas não num grau tão grande, é a Guiné-Bissau, que diminuiu desde 1100 no ano de 1990 para 790 em 2010. Não chega a ser a metade mas, também uma diminuição importante. Todos os países de língua portuguesa tiveram progressos importantes na mortalidade de menores de cinco anos, nas melhorias sociais, e etc.”

As regiões da  África Subsaariana e do sul da Ásia enfrentam os maiores desafios na sobrevivência infantil com mais de 80%  das mortes infantis no mundo, aponta o estudo.

Óbitos

O documento defende ainda que no ano passado, cerca de 7 milhões de crianças morreram antes de completarem cinco anos comparativamente aos12 milhões de óbitos reguistados em 1990.

O relatório defende que é possível acelerar a redução em mortalidade infantil com a expansão de intervenções preventivas e curativas que visam abordar as causas principais das mortes.

Causas

Doenças como  pneumonia, complicações no parto, diarreia e malária são tidas como as principais causas de morte entre as crianças menores de cinco anos a nível global.

Cerca de metade das mortes infantis ocorre em cinco países. Na Índia ocorrem  24%  do total global, na Nigéria 1% e na República Democrática do Congo 7%. O Paquistão e a China são os últimos da lista com 5% e 4%.

Apesar dos progressos serem considerados  importantes, estima-se que para atingir a meta do milênio prevendo a redução das mortes em dois terços, de 1990 até 2015, o decréscimo deve acelerar anualmente para mais de 14 % nos próximos três anos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud