FMI prevê queda de 3% na atividade económica portuguesa em 2012

12 setembro 2012

Avaliação da troika da União Europeia e do órgão, publicado esta terça, realça progressos do programa governamental “mesmo perante fortes obstáculos”

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A atividade económica portuguesa deverá ter uma queda de 3% este ano, anunciou o Fundo Monetário Internacional, FMI.

O desempenho deve ser reflexo do fraco crescimento das importações aos parceiros comerciais da zona euro, além de medidas de consolidação orçamental.

Crescimento Positivo

De acordo com o FMI, o segundo trimestre de 2013 deve ser marcado por uma retoma do crescimento positivo do Produto Interno Bruto, PIB.

Os dados constam na avaliação da troika da União Europeia e do órgão, que esta terça-feira terminou uma visita iniciada a 28 de Agosto. A próxima missão deve seguir para Lisboa em Novembro.

Progressos

De uma forma geral, o FMI refere que o programa governamental regista progressos, mesmo contra “fortes obstáculos”.

O rácio da dívida em relação ao PIB público deve atingir um pico abaixo de 124%. O valor é considerado sustentável, esperando-se que registe uma grande queda após 2014.

Compromisso

Na avaliação, o FMI revela o seu compromisso em cobrir o financiamento das necessidades do processo de consolidação.

O programa de reformas do governo português é apoiado por € 52 mil milhões de empréstimos da União Europeia  e uma Facilidade de Acesso a Fundos no valor de € 26 mil milhões do FMI.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud