Somália reduz crise e empossa novo presidente

Somália reduz crise e empossa novo presidente

Hassan Sheikh Mohamud foi escolhido nesta segunda-feira por membros do novo Parlamento Federal; dados da ONU apontam uma redução de 16% no número de pessoas em situação de crise na Somália.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU felicitou Hassan Sheikh Mohamud pela eleição como presidente da Somália, após votação dos membros do novo Parlamento Federal ocorrida esta segunda-feira na capital, Mogadíscio.

Ban Ki-moon lembra que a escolha do novo presidente põe termo a oito anos de transição política, tendo saudado o novo órgão legislativo e ao seu líder pela condução pacífica e ordeira do processo.

Vitória

Mohamud foi empossado, imediatamente, após o anúncio da sua vitória na corrida contra o adversário e antigo presidente Sheikh Sharif Sheikh Ahmed. O presidente foi eleito com 190 votos contra 79  do seu rival.

Ativista cívico e fundador de uma universidade em Mogadíscio, Hassan Sheikh Mohamud, de 56 anos, trabalhou com entidades nacionais  e internacionais de desenvolvimento.

Sucesso

Na mensagem, Ban congratula os signatários do Roteiro para o fim da transição pelo que considerou “importante papel desempenhado para o sucesso da conclusão do processo.”

Ao novo presidente somali, o Secretário-Geral pediu ação rápida para a nomeação de um Governo, um governo inclusivo e responsável dê início à construção da paz no país, tendo exortado aos intervenientes somalis que consolidem a parceria com a comunidade internacional.

Liderança

Um encontro de Alto Nível deve ocorrer no final deste mês, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral. Para Ban Ki-moon o momento será uma oportunidade para a nova liderança da Somália consolidar a parceria com a comunidade internacional.

A mensagem de Ban Ki-moon coincide com o lançamento de dados apontando a redução do número de pessoas em situação de crise na Somália em 16%.

Melhorias

O Escritório da ONU de Assistência Humanitária, Ocha, atribui o desempenho às intervenções humanitárias sustentadas no último ano e à melhoria dos estoques de alimentos.

As “colheitas excecionais” de Janeiro  são tidas como fatores que ditaram o aumento de stocks alimentares domésticos e de mercado, da disponibilidade de leite e dos preços do gado em grande parte das áreas de pasto da Somália.