Após suicídio em Gaza, OIT pede mais ação contra o desemprego BR

Após suicídio em Gaza, OIT pede mais ação contra o desemprego

Ihab Abu Nada ateou fogo contra si próprio depois de passar meses procurando trabalho; mais de 70% dos desempregados nos Territórios Palestinos têm menos de 30 anos de idade.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

 A Organização Internacional do Trabalho, OIT, faz um alerta nesta terça-feira sobre a situação precária dos trabalhadores na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

A OIT pede trabalhos decentes, proteção social e respeito aos direitos básicos. O apelo ocorre após o suicídio do jovem Ihab Abu Nada, que tinha pelo menos 18 anos, segundo agências de notícias.

Trabalho Informal

Morador de Gaza, ele ajudava o pai a sustentar a família de oito pessoas lavando louça ou descascando batatas nas ruas. Mas após meses procurando um emprego fixo, Ihab Abu Nada ateou fogo contra o próprio corpo e morreu dos ferimentos.

Segundo a OIT, mais de 70% dos desempregados nos Territórios Palestinos têm menos de 30 anos de idade. Em Gaza, a taxa de desemprego é três vezes maior que a média regional.

Ajuda Externa

Mais de 80% dos residentes dependem de ajuda internacional e quase metade vive em condições de pobreza. A OIT lembra que muitos jovens, como Abu Nada, dependem do trabalho informal.

Por isso, a agência pede atenção urgente para a promoção de treinamento vocacional, desenvolvimento de negócios e emprego direto.