Alta de preço dos alimentos pode atrasar luta contra pobreza
BR

3 setembro 2012

Especialista da FAO diz que subida de preços põe pressão sobre programas de transferência de renda, que são estratégia-chave da América Latina no combate à fome. 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um especialista da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, afirmou que a alta no preço dos alimentos pode atrasar a luta contra a pobreza na América Latina.

Em entrevista à Rádio ONU, Adoniram Sanches, encarregado de políticas para América Latina e Caribe, no Escritório Regional da FAO, em Santiago do Chile, falou sobre a situação nos países do Mercosul.

Exportadores

“Nós aqui do Mercosul: o Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, somos exportadores de alimentos. Mas mesmo assim, 8% da população brasileira vivem em pobreza extrema. Então exporta, mas se descuida para dentro. Este número já chegou a ser, em 2003, ao redor de 24% da população. E nós (Brasil) temos exportação, temos petróleo, então conseguimos fazer uma política agressiva, como a da Argentina, para fazer este pagamento do custo social.”

Adoniram Sanches que foi vice-ministro do Programa Fome Zero, no Brasil, falou à Rádio ONU sobre o III Fórum da Frente Parlamentar contra a Fome da América Latina e Caribe.

O grupo encerrou o encontro, na semana passada, na Cidade da Guatemala. O objetivo da Frente é discutir medidas para erradicar a fome até 2025 na América Latina.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud