No Irã, Ban discursa sobre papel do país, programa nuclear e Holocausto
BR

30 agosto 2012

Secretário-Geral pediu medidas necessárias para consolidar a confiança internacional quanto à natureza das atividades atômicas iranianas; capital Teerã abriga a 16ª. reunião do Movimento dos Países Não-Alinhados. 

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Secretário-Geral da ONU disse não haver ameaça maior para a paz e harmonia globais do que a proliferação nuclear. Ban Ki-moon discurso, nesta quinta-feira, em Teerã durante a 16ª. Reunião do Movimento dos Países Não-Alinhados.

Ao falar ao Irã, que abriga o evento, Ban disse que o país pode ter um papel construtivo na comunidade internacional e que deve tomar as medidas necessárias para consolidar a confiança internacional quanto à natureza do seu programa nuclear.

Destruição em Massa

De acordo com Ban Ki-moon, o Oriente Médio tem que ficar livre de armas nucleares e do armamento de destruição em massa.

O Secretário-Geral da ONU disse que o Governo Iraniano deve observar as Resoluções do Conselho de Segurança e cooperar com a Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea.

Em seu discurso, Ban Ki-moon citou a questão do Holocausto, dizendo que “alegações de que um Estado-membro da ONU não tem o direito de existir, e de destruir ou negar fatos históricos como o Holocausto”, são erradas e devem ser rejeitadas.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud