ONU condena assassinato de funcionário na Somália BR

ONU condena assassinato de funcionário na Somália

Vítima trabalhava para a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO; desde agosto de 2011, 20 agentes humanitários foram assassinados no país africano. 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório da ONU na Somália condenou a morte de um funcionário da Organização para Agricultura e Alimentação, FAO, na cidade de Marka, no sul do país.

Segundo a FAO, o somali Yassin Mohamed Hassan, de 40 anos, supervisionava a recuperação de sistemas de irrigação em Marka. O local fica a 100 km da capital somali, Mogadíscio. Ele foi morto durante um ataque de um grupo armado.

Sobrevivência

Em nota, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, deu os pêsames à família e aos colegas da vítima.

Desde agosto de 2011, 20 trabalhadores humanitários já foram assassinados na Somália.

A FAO tem cerca de 100 funcionários em todo o país.

O número de cidadãos recebendo ajuda para sobrevivência mais que dobrou desde que o estado de fome foi declarado, em julho do ano passado.

Atualmente, mais de 1,6 milhão de somalis recebem assistência alimentar e 1,7 milhão já têm acesso à água potável.

O Escritório da ONU na Somália afirmou que os ataques têm um impacto sobre as operações humanitárias e sobre a vida dos somalis mais carentes.