Zimbabué precisa de 119 milhões para fazer frente à fome até finais de 2013

28 agosto 2012

PMA aponta que fenómeno é resultado da falta de chuvas, fracas práticas agrícolas e redução das áreas de cultivo durante este ano.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Zimbabué vai precisar de US$ 119 milhões para iniciativas de combate à fome até finais de 2013, refere o Programa Mundial da Alimentação, PMA.

Em nota, a agência indica que o fenómeno deve-se à redução de safras em quase um terço verificada em 2012, devido à carência de chuvas, fracas práticas agrícolas e redução das áreas de cultivo.

Zonas Rurais

O PMA estima que durante o período de fome, que culmina entre Janeiro a Março, mais de 1,6 milhão de pessoas vão precisar de assistência alimentar nas zonas rurais.

Desafios económicos que incluem a falta de diversificação dos meios de subsistência e o aumento do custo de vida, também são tidos como responsáveis para a situação de insegurança alimentar e o défice na geração de receitas.

Ao longo das últimas semanas, os escritórios do PMA em todo o país deram conta de sinais de sofrimento, incluindo preços alimentares elevados, silos e celeiros vazios no que faz prever uma situação crítica.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud