Agência da ONU apoia projeto para incetivo de democracia em Moçambique

Agência da ONU apoia projeto para incetivo de democracia em Moçambique

Fundo das Nações Unidas para a Democracia financia programa destinado ao reforço da democracia em camadas desfavorecidas; ONG moçambicana foi a única escolhida na  África Austral.

Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo.

O Fundo das Nações Unidas para a  Democracia, Undef, está a apoiar um projeto de reforço da tolerância em Manica, província central de Moçambique.

A iniciativa é desenvolvida pela Joint, uma organização não governamental do país, que venceu um concurso internacional da agência da ONU para a promoção dos direitos cívicos em processos eleitorais.

Organizações Comunitárias

Em declarações à Rádio ONU, de Maputo, o coordenador da Joint, Simão Tila, falou da importância do projeto desenvolvido em parceria com cerca de meia centena de organizações comunitárias.

“Um dos grandes problemas que nós notamos é a fraca participação nos processos eleitorais, principalmente de mulheres e jovens. Também o fraco envolvimento das mulheres e das minorias. Estamos a falar dos deficientes. Em termos de actividades contempla a formação, sensibilização das pessoas através de 'road-show', campanhas de modo a promover a participação do cidadão nos processos democráticos”.

Implementação

Simão Tila assinalou que a Joint é a única entidade da África Austral elegível à implementação do programa de dois anos destinado ao reforço da democracia em camadas desfavorecidas.

“Uma pessoa bem consciencializada pode definir os seus destinos, a sua posição e o que pode fazer como dever cívico”.

No âmbito do projeto de promoção da democracia, o Undef apoia a organização moçambicana na produção de brochuras nas línguas portuguesa e nativas para ajudar os cidadãos a conhecerem melhor os seus direitos cívicos.