OMS envia reforços para conter alastramento do ébola na RD Congo

OMS envia reforços para conter alastramento do ébola na RD Congo

Agência refere que novo grupo vai juntar-se a dois técnicos que já se encontram no terreno; descartada possível ligação com o surto de Uganda.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou a deslocação de mais efetivos para apoiar os esforços de resposta ao surto de ébola na República Democrática do Congo, RD Congo.

O grupo vai juntar-se a dois técnicos que já se encontram no terreno para abordar à doença, que até esta terça-feira já tinha feito pelo menos nove mortos no leste do país.

Áreas Remotas

Em entrevista à Rádio ONU, em Genebra, o porta-voz da OMS, Gregory Hartl, falou de problemas de acesso às zonas remotas como limitantes à intervenção das equipas de socorro.

De acordo com o representante, um grupo adicional está a ser movimentado para a área que depende de dois voos semanais para o transporte de técnicos do ministério da saúde. Segundo acrescentou, não é automático que se tenha acesso imediato às pessoas e o apoio será canalizado a áreas como vigilância, epidemiologia, gestão de casos, controlo de infeções e mobilização.

As autoridades indicam que as regiões afetadas são de Isiro, Pawa e Dungu com o registo de um total de 15 casos. Hartl disse haver que descartar uma possível ligação com o surto de ébola no Uganda, pelo fato das duas variantes do vírus serem diferentes.

No mês passado, as autoridades ugandesas registaram  16 mortos devido à doença, considerada  uma das mais virulentas do mundo e transmitida pelo contato pessoal.