Neozelandeza encarregada de aconselhar o TPI em questões de género

Neozelandeza encarregada de aconselhar o TPI em questões de género

Nomeação foi anunciada pela procuradora-chefe, Fatou Bensouda; instituição diz que quer priorizar abordagem à violência sexual baseada no género.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A neozelandeza Brigid Inder foi nomeada assessora especial de Género da procuradoria do Tribunal Penal Internacional, TPI.

Com mais de 25 anos de carreira, a especialista estará encarregada de aconselhar o Gabinete do Procurador em questões que incluem a violência sexual baseada no género.

Experiência

Em comunicado, a procuradora-chefe do TPI, Fatou Bensouda, ressalta a experiência de  Brigid Inder em questões da justiça internacional, direitos humanos, da mulher e da saúde. O cargo era assumido pela norte-americana Catherine MacKinnon.

Para o TPI, a escolha de Inder teve igualmente em conta a sua intervenção como líder estratégica, assessora política e defensora dos direitos humanos das mulheres e da igualdade de género.

Fatou Bensouda referiu ainda que a prioridade será integrar a perspectiva de género em todas as áreas de trabalho da procuradoria, com um reforço do reconhecimento das questões da violência sexual.

A juíza gambiana, que sucedeu o promotor Luíz Moreno Ocampo, foi nomeada para a liderança da promotoria da instituição, sedeada em Haia,  em meados de Junho deste ano.