Relator da ONU quer que EUA consulte indígenas sobre venda de terras
BR

22 agosto 2012

Para James Anaya, a venda da propriedade em Black Hills, no estado de Dakota do Sul, afetará sítio de grande importância espiritual para as comunidades indígenas locais; leilão está marcado para o dia 25. 

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O relator especial da ONU sobre os Direitos dos Povos Índigenas pediu ao governo dos Estados Unidos e autoridades locais que reflitam sobre uma proposta de venda no estado de Dakota do Sul.

Segundo James Anaya, os povos indígenas Lakota, Dakota e Nakota manifestaram preocupação com a possibilidade de venda de uma propriedade particular em Black Hills, uma área no centro-norte dos Estados Unidos.

Cinco Trechos

O relator afirmou que o local tem grande importância espiritual para as comunidades indígenas. Segundo informações recebidas por James Anaya, o leilão de cinco trechos da área estaria marcado para o próximo dia 25.

A área inclui um sítio considerado sagrado para os indígenas, chamado de Pe’ Sla. Segundo as comunidades locais, com a venda, o acesso deles para os ritos cerimoniais no sítio ficará restrito.

Os indígenas também estão preocupados com a construção de uma estrada que possa afetar a constituição do local.

Ouro 

Ele encerrou a nota dizendo que a opinião dos povos Lakota, Dakota e Nakota têm que ser tomadas em consideração antes de qualquer ação pelo setor privado ou pelo governo.

Um acordo, de 1868, firmado entre o Governo Americano e os povos indígenas concedeu direitos a área de Black Hills às comunidades locais. Mas nove anos depois, a descoberta de ouro na área levou um Ato pelo Congresso americano que devolveu a propriedade de Black Hills aos Estados Unidos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud