Ban Ki-moon pede arranque de “novo capítulo da história da Somália”

Ban Ki-moon pede arranque de “novo capítulo da história da Somália”

Investidos 215 dos 275 deputados do Parlamento Federal; quota de 30% de representação feminina, previamente acordada entre os líderes, não foi atingida.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU disse ter chegado o momento para dar início a um novo capítulo da história da Somália, com o fim do período de transição.

Nesta segunda-feira, o Escritório Político das Nações Unidas para o país, Unpos, confirmou a tomada de posse de 215 dos 275 membros do Parlamento Federal numa cerimónia ocorrida na capital, Mogadíscio.

Reconciliação

A investidura do órgão é tida como um marco importante para o processo de reconciliação no país do Corno de África.

Em nota, Ban Ki-moon indica que a população esperou vinte anos para que a paz se enraizasse no seu país. A Somália está num processo de reconciliação nacional, após ausência de um governo funcional desde 1991.

Transformação

Ban felicitou o povo somali por ter atingido o “momento divisor de águas no seu caminho para a paz, estabilidade e transformação política.”

Por seu turno, o representante do Secretário-Geral para Somália, Augustine Mahiga,  disse que os novos deputados estão prontos para iniciar o seu trabalho.

Consultas

Segundo realçou, a seleção foi feita com base em critérios e objetivos de todos os clãs, representados nas consultas abrangentes que fizeram parte do processo.

De acordo com o representante, o parlamento é igualmente composto por graduados do ensino superior, cidadãos com experiência profissional relevante e um número significativo de mulheres.

Mahiga observa, entretanto, que não foi atingida a quota de 30% de representação feminina no órgão que previamente acordada entre os líderes, como parte do compromisso para as novas instituições da Somália.